Não sabe como tirar arranhões no carro? Conheça 5 soluções

4 minutos para ler

Já aconteceu de você estacionar na rua e, ao voltar, encontrar arranhões no carro? Pois é, todo motorista, ao menos uma vez na vida, já se deparou (ou vai se deparar) com algum dano na lataria do seu veículo.

As causas mais comuns para isso são os leves esbarrões feitos por outros automóveis, unhas de animais, chuva ácida, fezes de pássaros, pedras do asfalto que podem bater na lataria ou, até mesmo, uma lavagem feita com os produtos errados.

Pensando em ajudar você a solucionar esse problema tão comum, nós separamos algumas dicas especiais para se livrar dos arranhões no carro, já que estes podem contribuir para desvalorizar o veículo.

Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura e descubra como deixar a lataria do seu veículo novinha em folha!

1. Observe a profundidade dos arranhões

O primeiro passo, antes de realizar qualquer intervenção no seu veículo, é validar a profundidade dos arranhões. Isso porque, dependendo da gravidade do dano, infelizmente, vai ser necessário buscar a ajuda de um profissional capacitado para realizar a recuperação da lataria.

Você deve estar se perguntando, “mas como vou saber identificar isso”? Bem, quando um dano é feito superficialmente, a tinta continua exposta. Se você estiver visualizando qualquer tom diferente da pintura do seu veículo, principalmente se conseguir ver o metal, o arranhão foi mais profundo e ultrapassou a proteção do primer.

Nessa situação, não tem jeito: é necessário levar o carro em um profissional de funilaria e pintura. Ele montará o orçamento e fará os ajustes necessários.

É interessante reforçar que é muito importante não tentar mexer na lataria, você mesmo, nessas condições. Quando o dano ultrapassa a superfície, a carroceria fica suscetível à corrosão, a famosa “ferrugem”, e aplicar produtos inadequados pode potencializar esse processo.

2. Faça o enceramento do veículo

Quem não gosta de ver o seu carro parecendo novo, não é mesmo? Não há nada melhor do que ver a pintura do carro brilhando. Para isso, é essencial ter um cronograma de cuidados com seu veículo e colocar na rotina o enceramento da carroceria.

As ceras são itens essenciais para proteger o seu carro e deixar a pintura sempre viva. Além disso, elas têm um baixo custo em relação ao valor que geram ao seu automóvel, ou seja, ajudam a reduzir os impactos da depreciação.

3. Realize uma limpeza profunda

É essencial sempre manter o seu carro limpo. A sujeira ajuda a danificar a pintura e a causar arranhões. Isso acontece porque ela é composta por partículas semelhantes à areia, que entram em atrito com a carroceria. Por isso, não jogue somente água, faça uma lavagem profunda usando esponjas não abrasivas e um shampoo próprio para carros.

4. Invista no polimento da pintura

O polimento é um método que garante a durabilidade da sua pintura, protegendo-a contra danos e retirando todos os arranhões superficiais. No entanto, é essencial que você saiba que ele não deve ser feito com muita frequência. Caso isso aconteça, o efeito causado pode ser o oposto do pretendido. O ideal é que o polimento seja feito, no máximo, 4 vezes ao longo da vida útil do seu automóvel.

5. Utilize apenas produtos específicos

No primeiro tópico, falamos sobre a importância de não aplicar produtos na lataria do veículo caso ela esteja com um dano mais profundo. No entanto, o mesmo vale para os cuidados do dia a dia com o seu carro, principalmente no momento de fazer a lavagem.

Nunca use sabão em pó, por exemplo. Esse produto é responsável por muitos danos à lataria. Além disso, é muito importante que você não use “receitas mágicas” para corrigir as falhas na pintura: muitas vezes o barato sai caro.

Caso você tenha alguma dúvida sobre qual produto usar no seu carro, é essencial buscar a ajuda de profissionais ou de lojas especializadas no cuidado com automóveis, pois eles têm as melhores opções do mercado.

Você já viveu alguma situação em que se deparou arranhões? Conte para gente a sua experiência nos comentários abaixo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário