Como identificar um pneu desgastado e saber o momento correto de trocar

4 minutos para ler

Poucas coisas são tão perigosas no trânsito quanto rodar com pneus em mau estado de conservação. Além de colocar em risco a própria segurança, esse descuido pode resultar em acidentes envolvendo os demais motoristas ao redor, podendo ter graves consequências.

A boa notícia é que essas situações podem ser evitadas com cuidados muito simples, como uma inspeção periódica nesses componentes. Pensando nisso, elaboramos este guia que vai te ajudar a identificar um pneu desgastado e descobrir quando ele deve ser trocado. Acompanhe!

Verifique a existência de imperfeições

Se você encontrar marcas como bolhas e rachaduras na camada externa de um pneu, é bem provável que ele precise ser substituído. Isso porque essas marcas criam pontos fracos onde aparecem, de modo que há o risco de estourar em pleno uso.

É preciso estar atento, pois essas imperfeições podem aparecer tanto nas paredes laterais quanto na banda de rodagem, que é a área que entra em contato com o solo.

Analise a profundidade dos sulcos

Fundamentais para uma direção estável e segura, os sulcos existentes na banda de rodagem têm o papel de escoar a água debaixo do pneu em situações de pista molhada. Para isso, é preciso que eles tenham, pelo menos, 1,6 milímetro de profundidade.

A maioria dos pneus vem com um recurso que facilita essa verificação, chamado de TWI (Tread Wear Indicator). Trata-se de um ressalto de borracha localizado entre os sulcos e que tem a exata medida do limite seguro de desgaste. Quando esse indicador estiver no mesmo nível da superfície, o pneu é considerado careca e precisa ser substituído o quanto antes.

Confira o código DOT

Sabe aqueles códigos formados por letras e números presentes na lateral dos pneus? Esse é o código DOT (Department of Transportation), que traz informações importantes sobre o componente, como suas dimensões, local e data de fabricação.

Apesar de os pneus não terem uma data de validade preestabelecida, componentes fabricados há muito tempo podem ter suas propriedades fundamentais comprometidas. Por isso, quanto mais tempo eles tiverem, maiores serão os cuidados e a frequência com que é preciso avaliá-los para garantir uma direção sempre segura.

Após identificar essa sequência, formada por 13 caracteres, basta observar os quatro últimos descobrir a data em que o pneu foi feito. Nesse último segmento, os dois primeiros números indicam a semana e os dois últimos representam o ano de fabricação do pneu.

Observe a quilometragem rodada

Finalmente, é preciso verificar há quantos quilômetros seus pneus estão sendo utilizados. Em média, os que são destinados a veículos de passeio e utilitários duram cerca de 60 mil km. A partir disso, é provável que eles comecem a apresentar os problemas que citamos anteriormente.

Por isso, uma prática muito importante é registrar a quilometragem do veículo quando os pneus são colocados, pois isso facilitará bastante essa verificação. Esse acompanhamento permite que as trocas sejam melhor planejadas, o que é bom para sua segurança e para o seu bolso.

Para aumentar a vida útil dos pneus, o ideal é fazer o rodízio periodicamente, trocando-os de eixo. Nessa hora, aproveite para averiguar a suspensão, o alinhamento e a calibragem, fatores que fazem os pneus atuarem sempre nas melhores condições possíveis.

Na hora de trocar um pneu desgastado, dê sempre preferência para os produtos de qualidade e com garantia de fábrica. Assim, você roda tranquilo e tem a assistência necessária sempre que precisar.

Agora você sabe como identificar um pneu desgastado. Então, aproveite para ler mais sobre a compra de pneus e faça seu pedido pela internet com toda segurança e agilidade!

Você também pode gostar

Deixe um comentário