Conheça os prós e contras do rodízio de pneus

4 minutos para ler

Há alguns anos, havia um entendimento geral entre montadoras, mecânicos e motoristas de que fazer o rodízio de pneus era a melhor alternativa. Porém, hoje as coisas mudaram um pouco e vários profissionais e fabricantes passaram a desaconselhar essa prática.

A seguir, você vai conhecer os pontos principais defendidos tanto por aqueles que são a favor quanto por aqueles que vão contra essa prática. Confira e entenda melhor essa questão!

Rodízio de pneus: prós

Quanto às vantagens de se fazer o rodízio de pneus no carro, temos os seguintes argumentos:

Economia

Ao fazer o rodízio, os pneus se desgastam de forma mais homogênea — traseiros e dianteiros. Vale lembrar que, independentemente da marca do pneu ou do carro, o desgaste sempre ocorrerá de forma diferente. Mas, ao realizar esse procedimento, é possível aproveitá-los por mais tempo, de forma que eles ainda consigam contribuir para a eficiência do carro, o que impacta em um menor consumo de combustível, ajudando na economia.

Durabilidade

Outro fator defendido como ponto positivo do rodízio de pneus é a possibilidade de aumentar a durabilidade desse item. Isso porque essa prática pode ajudar a equalizar ou minimizar as diferenças provocadas pelo tempo de uso. Nesse sentido, o rodízio é vantajoso a título de procedimento preventivo e não corretivo ou permanente.

Rodízio de pneus: contras

Entre os pontos mais importantes elencados por quem desaconselha o rodízio de pneus, podemos citar os seguintes:

Queda na segurança

Algumas fabricantes recomendam que o rodízio não seja feito, uma vez que os pneus produzidos por elas apresentam diferenças entre os conjuntos dianteiro e traseiro. Logo, ao fazer o procedimento, os resultados esperados podem não ser percebidos e a eficiência do jogo de pneus pode ser prejudicada, afetando a segurança da direção.

Uso do estepe

Também existem aqueles que apontam que incluir o estepe no rodízio, como geralmente é feito, não é algo que possa ser interessante. Nesse caso, o ponto complicado é que cada vez que o condutor fizer o rodízio apenas três pneus estarão gastos de forma uniforme, isso porque o quarto pneu estará menos gasto, pois estava reservado no porta-malas. Esse fator já seria o suficiente para provocar desequilíbrios que afetam não somente os eixos, mas também o lado esquerdo e direito.

Outro argumento usado contra o rodízio de pneus com estepe é que esse item foi feito com o objetivo de ser um fator de segurança, no caso de alguma eventualidade avariar um pneu, garantindo que o motorista consiga chegar aonde pretende e não para ser utilizado constantemente.

Evitando problemas

Entre prós e contras, há um ponto em que existe uma espécie de consenso: comprar pneus novos é a melhor alternativa, afinal, além do fato de que esse item está entre os mais importantes do carro, comprá-los novos é sinônimo de qualidade, eficiência, durabilidade e segurança. Isso sem contar que ainda contribuem para que outros itens do carro tenham um período maior de vida.

A dica é buscar por revendedores sólidos no segmento, que contam com os melhores pneus e trabalham com as maiores marcas do mercado, como a Complete o Carro, que trabalha com jogos de pneus das principais fabricantes e ainda oferece uma série de outros itens para veículos, com transparência e qualidade.

Por fim, na dúvida se deve ou não fazer o rodízio de pneus em seu carro, a recomendação básica mais funcional é avaliar o seu próprio caso. Ou seja, verifique qual prática traria mais benefícios e deixaria você mais tranquilo e seguro.

Gostou deste artigo? Confira também nosso post sobre como calibrar os pneus do carro corretamente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário